Ilustração da UE

História

Quando a Universidade foi fundada em 1559, Évora, segunda capital do Reino, era palco de uma intensa vida cultural onde marcaram presença, além dos distintos humanistas seus filhos, figuras como Gil Vicente ou Clenardo.

A Universidade traria à cidade a projecção universal que naturalmente resultara da aventura da expansão ultramarina e das vicissitudes das questões religiosas do âmbito da Reforma e da Contra Reforma. Entregue a sua direcção ao cuidado da Companhia de Jesus, aqui se formou durante dois séculos parte da elite que interessava ao Estado e à Igreja formar para responder aos desafios enfrentados quer na metrópole quer no vastíssimo império português. Ao longo de duzentos anos alguns dos seus mestres alcançaram fama internacional, como Sebastião do Couto e Luis de Molina, mas também entre milhares de alunos sobressaíram figuras maiores da cultura portuguesa como Manuel Severim de Faria e Luís António Verney.

Quando em 1759 o Marquês de Pombal expulsou os jesuítas, a Universidade de Évora foi extinta. Contudo, a vocação pedagógica do estabelecimento manteve-se e os estudos mantiveram-se no espaço físico da Universidade pela mão, primeiro dos professores régios nomeados pelo governo pombalino e depois, a partir de 1776, da Terceira Ordem de S. Francisco que aqui manteve estudos, sob a protecção do Arcebispo de Évora, D. Manuel do Cenáculo. No século XIX, com as reformas pedagógicas do liberalismo, foi o Colégio do Espírito Santo sucessivamente escolhido para albergar a Casa Pia de Évora, o Liceu Nacional de Évora, e a Escola Comercial e Industrial, instituições que muito contribuíram para a instrução de milhares de jovens até à década de setenta do século XX.

A vontade da cidade de Évora voltar a sediar uma instituição de ensino universitário foi evidenciada aquando das comemorações do IV centenário da fundação da Universidade. De facto, a partir de finais dos anos 50 inicia-se um processo que, passando pela criação do Instituto de Estudos Superiores de Évora em 1964 e do Instituto Universitário de Évora em 1973, culminará em 1979 na criação da Universidade de Évora.

Para comemorar os 450 anos da sua fundação, promove a Universidade de Évora um Congresso Internacional visando reunir, numa perspectiva transdisciplinar, os especialistas que mais e melhor têm investigado a história das instituições que no Colégio do Espírito Santo tiveram a sua sede.